O pimenteirense Armando Venâncio (28 anos) falou com exclusividade ao Mestiço News sobre o desafio de ter enfrentado os efeitos causados pelo novo coronavírus. Ele é um dos moradores do município que foram diagnosticados com a doença.

Segundo Armando Venâncio ele, sua “mãe” (avó) e sua irmã acabaram contraindo o vírus em uma viagem que fizeram a Teresina, donde sua “mãe” (avó) teve que passar por um procedimento cirúrgico no hospital Getúlio Vargas. Depois dos três, sua mãe (biológica) e sua esposa, também, acabaram contraindo a doença. Contando com o mesmo, 5 pessoas da sua família foram infectadas.

“Quando saiu o resultado do exame, foi assim, aquele choque… você recebe um choque: Tipo, nossa, eu estou com coronavírus! De certa forma, você fica meio… dá aquele… (sic) você fica meio que em estado de choque no primeiro momento”, frisou Armando.

Armando relata a dificuldade de enfrentar o isolamento, pois, afirma que foram mais de 20 dias em reclusão total e ressalta como é difícil enfrentar, pessoalmente, a doença e ainda ter que ver as pessoas que ama, também, enfrentarem.

O jovem Armando comentou sobre o preconceito que um paciente que contrai o coronavírus sofre, porém, ressalta a importância do apoio, do carinho e do afeto que ele e sua família receberam das equipes de saúde que lhes acompanharam, do apoio dos familiares e amigos.

Agradecendo aos familiares, amigos e equipes de saúde, Armando, também, ressaltou o apoio que ele e sua família receberam por parte do Comitê de Combate ao Coronavírus de Pimenteiras e da Secretaria Municipal de Saúde.

Na foto, Amando posa ao lado da sua esposa, Amanda. | Foto: Arquivo Pessoal
Na foto, Armando Venâncio posa ao lado da sua esposa, Amanda. | Foto: Arquivo Pessoal
Armando Venâncio . | Foto: Arquivo Pessoal

Segundo informou ao Mestiço News, nenhum dos seus familiares chegaram a ir à UTI. Apenas a sua mãe (avó) precisou ficar internada por 7 dias no hospital Regional Justino Luz, na cidade de Picos, devido a algumas complicações relacionadas à Covid-19. Os outros integrantes da família sentiram apenas os sintomas mais típicos da doença, não chegando a sofrer danos mais graves.

Nesta terça-feira (02) a família recebeu a alta clínica e, graças a Deus, passará a contabilizar o número de curados entre aqueles que foram diagnosticados com a doença no município de Pimenteiras, tão logo sejam divulgados os resultados na nota oficial que deverá ser divulgada pela Secretaria de Saúde.

Perguntado sobre que mensagem deixaria para as pessoas que ainda não têm atentado para a gravidade da doença, Armando afirmou que a população deve levar a sério a questão do isolamento social, haja vista que ainda não temos uma vacina e, segundo ele, o melhor remédio ainda é a prevenção, principalmente, por amor ao próximo. Ressaltou, ainda, que as pessoas devem ficar atentas em relação aos sintomas, frisando que, se alguém sentir algum indício que se relacione com aqueles apontados como alusivos à Covid-19, procure o mais rápido possível a ajuda dos profissionais capacitados para o diagnóstico precoce. Finalizou apontando que é imprescindível que as pessoas evitem o preconceito contra quem contrai a doença, pois, esse é um momento difícil, que requer amor e respeito.

Fonte: Mestiço News
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui