No início da noite do último sábado (28/08) uma onda de áudios e post’s recheou os grupos de WhatsApp e as redes sociais de Pimenteiras (PI) e de cidades da microrregião valenciana. As informações davam conta de um forte clarão seguido de um barulho de explosão visto e ouvido por moradores da cidade de Pimenteiras, localidades rurais do município e, ainda, em cidades do Vale do Sambito, a exemplo de Valença do Piauí e Lagoa do Sítio.

Segundo entrevista feita pelo Mestiço News com o professor Antônio Paulo Dantas, tudo indicava que um meteoro havia caído na região. Na manhã desta segunda-feira (30) uma matéria divulgada pela BRAMON, sigla para Brazilian Meteor Observation Network, ou Rede Brasileira de Observação de Meteoros, confirmou que o episódio observado no último sábado, realmente se tratava da queda de um meteoro e que este teria caído em solo piauiense.

Segundo a BRAMON, a passagem do meteoro chamou a atenção de moradores de vários estados do Nordeste e foi registrado por 8 câmeras do Clima ao Vivo em Pernambuco, Paraíba, Bahia e no no Ceará. Confira as imagens:

A partir dos vídeos do Clima ao Vivo e dos relatos enviados através do formulário bramon.imo.net, a BRAMON – Rede Brasileira de Observação de Meteoros analisou o fenômeno e concluiu que tratava-se de um bólido, ou seja, um meteoro muito luminoso que termina de forma explosiva. Ele ocorre quando um fragmento de rocha espacial, também chamado de meteoroide, atinge a atmosfera da Terra em alta velocidade, causando o aquecimento dos gases atmosféricos, o que gera o fenômeno luminoso. Dependendo do tamanho do meteoroide e de outros fatores físicos, além de brilhar intensamente, ele pode atingir as camadas mais baixas e densas da atmosfera, onde a resistência do ar acaba provocando a fragmentação da rocha e gerando uma onda de choque, que pode ser sentida em solo como um barulho de explosão.

TRAJETÓRIA

A partir das análises das imagens captadas pelo Clima ao Vivo, a BRAMON calculou a trajetória do meteoroide através da atmosfera. Segundo os cálculos, o meteoroide atingiu a atmosfera da Terra em um ângulo de 35,3°, em relação ao solo, e começou a brilhar a 67,3 km de altitude sobre a Zona Rural de Pimenteiras, no Piauí. Seguiu a 60,2 mil km/h, percorrendo 74,7 km em 4,5 segundos, e desapareceu a 24,1 km de altitude, sobre o município de Lagoa do Sítio, também no Piauí.

Trajetória preliminar do bólido – Créditos: BRAMON

METEORITOS EM SOLO

De acordo com as análises preliminares feitas pela BRAMON, é possível que parte do meteoroide não tenha sido completamente consumido durante a passagem atmosférica. Nesse caso, existe a possibilidade que fragmentos de meteoritos tenham chegado ao solo na região próxima à Valença do Piauí. A BRAMON está trabalhando nos cálculos da massa do meteoroide e na determinação da área de dispersão dos possíveis meteoritos.

*Com informações da Rede BRAMON

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui