A família do senhor Manoel da Cruz Rodrigues, morador do município de São Miguel da Baixa Grande, distante a 153,5 km da capital do estado do Piauí, Teresina, precisa, urgentemente, de ajuda para o custeio do tratamento do seu filho pequeno, de 04 anos.

Manoel Rodrigues e sua família vêm lutando há três anos para amenizar os problemas de saúde que impossibilitaram o desenvolvimento físico e cognitivo do pequeno Josué Emanoel.

Segundo relatou o pai à redação do Mestiço News, o pequeno Josué evoluiu bastante desde que se iniciaram os tratamentos para o seu desenvolvimento físico há três anos, quando a família levava a criança a Picos (uma distância bem maior em relação à capital) e, após decisão judicial, atualmente, ele é levado três vezes por semana ao Centro Integrado de Reabilitação (CEIR) em Teresina.

Manoel nos relatou que a família tem essa rotina desde que a criança foi diagnosticada, ainda no ano de 2017. Sem nenhum auxílio governamental, o pai afirma que tem feito todos os esforços para manter o tratamento do filho, mas garante que tem se tornado cada vez mais difícil arcar com os altos custos que a rotina de viagens e o tratamento requerem.

Por não ter residência fixa na capital e sem nenhuma assistência por parte do poder público, Manoel e sua família vão a Teresina três vezes por semana levar o filho ao centro de reabilitação por conta própria.

Porém, agora surgiu mais uma dificuldade. Como o pequeno Josué já evoluiu bastante aos tratamentos para o seu desempenho físico e está prestes a ter alta do CEIR, a próxima fase do tratamento é trabalhar na criança o seu desenvolvimento cognitivo e intelectual, mas infelizmente, a alta demanda e o baixo número de profissionais qualificados para caso do menino no sistema público de saúde estão impossibilitando a família de dar continuidade ao tratamento pelo SUS.

Manoel relatou à nossa reportagem que a profissional de saúde que acompanha seu filho afirmou ser urgente, pela idade que o pequeno já tem, que ele seja acompanhado por dois especialistas: terapeuta ocupacional e fonoaudiólogo.  Como o Estado não está conseguindo disponibilizar esses profissionais à família, a solução será buscar pagar um plano de saúde na rede particular que contemple o atendimento nas especialidades que a criança necessita para o seu desenvolvimento intelectual.

Diante da dificuldade financeira que a família vem enfrentando, Manoel procurou a nossa reportagem para que pudéssemos relatar o caso da família aos internautas que nos acompanham. Sabendo do alcance Mestiço News, pedimos a você que venha se solidarizar e ajudar essa família no custeio do tratamento do guerreiro Josué Emanoel.

No vídeo abaixo o pai do garoto trás um breve relato sobre a necessidade da família nesse momento de suas e vidas e faz um apelo às pessoas que puderem lhes ajudar.

Quem puder ajudar faça um depósito na conta bancária a seguir:

Você pode ajudar ainda pela Vakinha Online clicando aqui.

Para mais informações fale pelo WhatsApp:  (86) 9932-7676 (Falar com Manoel Rodrigues)

Fonte: Mestiço News
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui