A Secretaria de Saúde do Estado do Piauí (Sesapi) recolheu 23.840 doses da vacina Coronavac que fazem parte de um dos 25 lotes do imunizante interditados neste sábado (4) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Segundo a Anvisa, a agência foi comunicada pelo Instituto Butantan que o parceiro Sinovac, fabricante da vacina CoronaVac, enviou para o Brasil 25 lotes na apresentação frasco-ampola (monodose e duas doses), totalizando 12.113.934 doses. A unidade fabril responsável pelo envase não foi inspecionada e não foi aprovada pela Anvisa na Autorização de Uso Emergencial da referida vacina.

De acordo com a Sesapi, as vacinas enviadas ao Piauí pertencem ao lote 202107101H, um dos interditados. A Secretaria informou ainda que nenhuma das doses chegou a ser utilizada no estado. Metade foi distribuída para Teresina e a outra parte ficou no estoque da Sesapi para ser utilizada como 2ª dose.

Foto: Divulgação

“A vacina envasada em local não aprovado na AUE configura-se em produto não regularizado junto à Anvisa.  Assim, torna-se essencial a atuação da Agência com o intuito de mitigar um possível risco sanitário. Tal ação se dará por meio da publicação de duas Resoluções (RE), ainda neste sábado (4/9), em Edição Extra do Diário Oficial da União (D.O.U.)”, informou a Anvisa ainda ontem.

Lotes já distribuídos (12.113.934 doses):   

IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.

SES/SP: J202106025, J202106029, J202106030, J202106031, J202106032, J202106033, H202106042, H202106043, H202106044, J202106039, L202106048.

O Instituto Butantan informou ainda que outros 17 lotes, totalizando 9 milhões de doses, também envasados no local não inspecionado pela Agência, estão em tramitação de envio e liberação ao Brasil.

Os lotes são: IB: 202108116H, 202108117H, 202108125H, 202108126H, 202108127H, 202108128H, 202108129H, 202108168H, 202108169H, 202108170H, 2021081701K, 202108130H, 202108131H, 202108171K, 202108132H, 202108133H, 202108134H

A Anvisa ressaltou que as medidas cautelares não são decisões condenatórias em caráter punitivo, mas sim medidas sanitárias para evitar a exposição ao consumo e ao uso de produtos irregulares ou sob suspeita.

Fonte: Cidadeverde.com
COMPARTILHAR

Comentários no Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui